Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, Solenidade|Domingo

Primeira Leitura

PRIMEIRA LEITURA

Quanto a vós, minhas ovelhas, farei
justiça entre uma ovelha e outra.

Leitura da Profecia de Ezequiel 34,11-12.15-17

11

Assim diz o Senhor Deus:
"Vede! Eu mesmo vou procurar minhas ovelhas
e tomar conta delas.

12

Como o pastor toma conta do rebanho, de dia,
quando se encontra no meio das ovelhas dispersas,
assim vou cuidar de minhas ovelhas e vou resgatá-las
de todos os lugares em que foram dispersadas
num dia de nuvens e escuridão.

15

Eu mesmo vou apascentar as minhas ovelhas
e fazê-las repousar — oráculo do Senhor Deus —.

16

Vou procurar a ovelha perdida, reconduzir a extraviada,
enfaixar a da perna quebrada,
fortalecer a doente, e vigiar a ovelha gorda e forte.
Vou apascentá-las conforme o direito.

17

Quanto a vós, minhas ovelhas,
— assim diz o Senhor Deus —
eu farei justiça entre uma ovelha e outra,
entre carneiros e bodes".
Palavra do Senhor.

Salmo

Salmo responsorial Sl 22(23),1-2a.2b-3.5-6 (R.1)
R. O Senhor é o pastor que me conduz;
não me falta coisa alguma.

2

Pelos prados e campinas verdejantes *
ele me leva a descansar.
Para as águas repousantes me encaminha, *

3

e restaura as minhas forças. R.

5

Preparais à minha frente uma mesa, *
bem à vista do inimigo,
e com óleo vós ungis minha cabeça; *
o meu cálice transborda. R.

6

Felicidade e todo bem hão de seguir-me *
por toda a minha vida;
e, na casa do Senhor, habitarei *
pelos tempos infinitos. R.

Segunda Leitura

EGUNDA LEITURA

Entregará a realeza a Deus-Pai,
para que Deus seja tudo em todos.

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios 15,20-26.28

Irmãos:

20

Na realidade, Cristo ressuscitou dos mortos
como primícias dos que morreram.

21

Com efeito, por um homem veio a morte,

e é também por um homem

que vem a ressurreição dos mortos.

22

Como em Adão todos morrem,
assim também em Cristo todos reviverão.

23

Porém, cada qual segundo uma ordem determinada:
Em primeiro lugar, Cristo, como primícias;
depois, os que pertencem a Cristo,
por ocasião da sua vinda.

24

A seguir, será o fim,
quando ele entregar a realeza a Deus-Pai,

depois de destruir todo principado e todo poder e força.

25

Pois é preciso que ele reine,

até que todos os seus inimigos estejam debaixo de seus pés.

26

O último inimigo a ser destruído é a morte.

28

E, quando todas as coisas estiverem submetidas a ele,
então o próprio Filho se submeterá
àquele que lhe submeteu todas as coisas,
para que Deus seja tudo em todos.
Palavra do Senhor.

Evangelho

EVANGELHO

Assentar-se-á em seu trono glorioso
e separará uns dos outros.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 25,31-46

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:

31

"Quando o Filho do Homem vier em sua glória,
acompanhado de todos os anjos,
então se assentará em seu trono glorioso.

32

Todos os povos da terra serão reunidos diante dele,
e ele separará uns dos outros,
assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos.

33

E colocará as ovelhas à sua direita
e os cabritos à sua esquerda.

34

Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita:
'Vinde, benditos de meu Pai!
Recebei como herança o Reino

que meu Pai vos preparou
desde a criação do mundo!

35

Pois eu estava com fome e me destes de comer;
eu estava com sede e me destes de beber;
eu era estrangeiro e me recebestes em casa;

36

eu estava nu e me vestistes;
eu estava doente e cuidastes de mim;
eu estava na prisão e fostes me visitar'.

37

Então os justos lhe perguntarão:
'Senhor, quando foi que te vimos com fome
e te demos de comer?
com sede e te demos de beber?

38

Quando foi que te vimos como estrangeiro
e te recebemos em casa,
e sem roupa e te vestimos?

39

Quando foi que te vimos doente ou preso,
e fomos te visitar?'

40

Então o Rei lhes responderá:
'Em verdade eu vos digo,
que todas as vezes que fizestes isso
a um dos menores de meus irmãos,
foi a mim que o fizestes!'

41

Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda:
'Afastai-vos de mim, malditos!

Ide para o fogo eterno,
preparado para o diabo e para os seus anjos.

42

Pois eu estava com fome e não me destes de comer;
eu estava com sede e não me destes de beber;

43

eu era estrangeiro e não me recebestes em casa;
eu estava nu e não me vestistes;
eu estava doente e na prisão e não fostes me visitar'.

44

E responderão também eles:
'Senhor, quando foi que te vimos com fome, ou com sede,
como estrangeiro, ou nu, doente ou preso,
e não te servimos?'

45

Então o Rei lhes responderá:
'Em verdade eu vos digo,
todas as vezes que não fizestes isso
a um desses pequeninos,
foi a mim que não o fizestes!'

46

Portanto, estes irão para o castigo eterno,
enquanto os justos irão para a vida eterna".
Palavra da Salvação.

Santo Do Dia

São Leonardo, o grande missionário do século XVIII, como lhe chamou Santo Afonso Maria de Ligório, nasceu em Porto Maurício, perto de Gênova, Itália, em 20 de dezembro de 1676. Aconteceu que Leonardo perdeu muito cedo sua mãe, tendo sido criado e educado pelo seu tio. Encontrou cedo sua vocação ao sacerdócio, por isso, ao renunciar a si mesmo, foi para Roma formar-se no Colégio da Companhia de Jesus. Por causa da sua inocência e sólida virtude, conquistou a simpatia e a alta consideração de seus superiores, que nele viam outro angélico Luís Gonzaga. Entrou para a Ordem Franciscana no Convento de São Boaventura, e com 26 anos já era padre.

Começou a vivenciar toda a riqueza do Evangelho e a radicalidade típica dos imitadores de Francisco, por isso ocupou posições cada vez maiores no serviço à Ordem, à Igreja e para com todos. Devoto da Virgem Maria, que lhe salvou a vida num tempo de incurável doença (tuberculose), São Leonardo de Porto Maurício era devotíssimo do Sagrado Coração de Jesus na forma da adoração ao Jesus Eucarístico.

Foi, no século XVIII, o grande apóstolo do santo exercício da Via-Sacra. Era um grande amante da pobreza radical e franciscana. Toda a vida, penitências e orações de São Leonardo convergiam para a salvação das almas. Era tal a unção, a caridade ardente e o entusiasmo que repassava em suas pregações, que o célebre orador Bapherini, encanecido já no exercício da palavra, sendo enviado por Clemente XII a ouvir os sermões de Leonardo para depois o informar a este respeito, desempenhou-se da sua missão dizendo “que nunca ouvira pregador mais arrebatador, que o efeito de seus discursos era irresistível, que ele próprio não pudera reter as lágrimas”. São Leonardo era digno sucessor de Santo Antônio de Lisboa, de São Bernardino de Sena e de São João Capistrano.

O próprio Pontífice Bento XIV quis ouvir o famoso missionário, e para isso chamou-o a Roma, em 1749, a fim de preparar os fiéis para o Ano Santo. Depois de derramar-se por Deus e pelos outros, São Leonardo de Porto Maurício não se tornou mártir, como tão desejava, mas deu toda sua vida no dia a dia até adoecer e entrar no Céu, a 26 de novembro de 1751, no Convento de São Boaventura, em Roma, onde, 54 anos antes, consagrara-se ao Senhor sob o burel de São Francisco.

Não se limitou apenas à pregação o ilustre missionário de Porto Maurício; deixou também vasta coleção de escritos, publicados a princípio isoladamente, e reunidos depois numa grande edição, que prolonga no futuro a sua prodigiosa ação missionária, não apenas dentro das fronteiras da Itália, mas cujo âmbito é todo o mundo civilizado, pelas traduções feitas em quase todas as línguas cultas. Esses escritos constituem, em geral, um rico tesouro de verdades ascéticas e ensinamentos morais e homiléticos.

São Leonardo de Porto Maurício foi beatificado, em 19 de março de 1796, e sua canonização foi, em 29 de junho de 1867, durante o pontificado do Papa Pio IX, que era muito devoto do santo. Em 1923, Pio XI o proclamou Padroeiro dos sacerdotes, que, em qualquer parte da terra, se consagram às missões populares católicas.

São Leonardo de Porto Maurício, rogai por nós!

Compartilhe
deixe sua mensagem